Carta aberta ao ministro Joaquim Barbosa

Por: Ronilson de Souza Luiz/Professor e doutor em Educação pela PUC-SP.

Sábado, 11 de Novembro de 2017


Texto: A - A A +
Compartilhar:

Em nome de milhões de brasileiros e brasileiras insisto na solicitação para que concorra à Presidência da República, em 2018. Precisamos de alguém com capacidade de resolver conflitos e lidar com a diversidade, simultaneamente, agindo com serenidade sem frieza e firmeza sem rusticidade.

São vários os apelos para que entre na disputa. Recorro ao que, certamente, silenciosamente, ser-lhe-á mais caro. Trata-se do exemplo. Do inédito. Do mineiro, da humilde Paracatu, que venceu, que foi mais longe, atravessou oceanos.

Imaginamos as enormes intempéries que enfrentará na campanha, mas também sabemos que seus ancestrais lhe darão a devida força para os ventos que virão. Seu trunfo é a experiência dos enormes esforços que desprendeu para esculpir-se.

Vossa Excelência é referência positiva para afro-brasileiros, negros, pretos ou pardos como queiram os leitores e eleitores. Inspire-se em Milton Nascimento “mas, é preciso ter manhã, é preciso ter graça, é preciso ter sonho sempre. Quem traz na pele essa marca possui a estranha mania de ter fé na vida”.

Ter, na urna eletrônica, um rosto, que traz as marcas e o brilho que representam milhões espalhados por este enorme Brasil será louvável e memorável para todos. Constar na página do TSE, o nome Joaquim Benedito Barbosa Gomes levará milhões às lágrimas, por terem aguardado décadas para esta oportunidade. Siga sua sina de filho primogênito. 

As credenciais e os laços de cordialidade que semeou na Uerj, PUC-RJ, MPF e parte do Itamaraty lhe serão gratos. Use o talento que lhe sai pelos poros, sirva-se da agudeza analítica e outras virtudes, como ocorre aos notáveis músicos, que aprendem de ouvido.

Haverá arrazoados, decerto, para sustentar uma decisão contrária, por favor, pondere. Lembre-se: a maior parte dos eleitores vota com a emoção. Auxilie o Executivo a prestar a tempo e com eficiência os serviços públicos essenciais à população. Não será apenas uma decisão – será um projeto. Assino, cordialmente.

profronilson@gmail.com

Quantos vivem iludidos

A ilusão nos devora, nos dilacera, nos abraça, nos torna céticos ou nos torna ambiciosos, nos toca e nos traz imagens diversas e...

Mau exemplo

Conheci a ambos, porém nunca fomos amigos.O pai, sempre sisudo e de mau humor, até mesmo grosseiro para com seus semelhantes.Os colegas...

Lembranças…

Como de costume, pela manhã, habituei-me a caminhar em direção à banca de jornais situada próxima à minha re...

Lei de impacto sobre a vizinhança

O Estatuto da Cidade, Lei Federal de 2001, foi criado para estabelecer uma série de instrumentos  de forma a que a cidade pudesse buscar s...

Vai, ou não vai?

Estamos na semana final de abril e o domingo. 1º de maio, assinala o feriado do Dia do Trabalho.A partir dai, estaremos acompanhando os acontecim...

Esquecidos, ingratos ou sem educação?

Lembro-me perfeitamente e o fato ocorreu há muitos anos quando a pessoa que narrou-me o acontecido ainda residia no bairro de Quitandinha.Infel...