Colapso nas prisões e vereadores presos

Por: Rogério Tosta

10 meses atrás


Texto: A - A A +
Compartilhar:
imagem noticias
| Tribuna de Petrópolis

Desde a semana passada estamos vendo na mídia nacional, matérias sobre o colapso nos presídios e o risco que isto está trazendo para sociedade. Na quarta-feira, como já ocorreu no Rio e São Paulo, diversos ônibus foram queimados no Rio Grande do Norte. Uma ação anunciada pelos chefes das facções que brigam dentro dos presídios da região Norte e parte do Nordeste.

Na quarta-feira, em meio as matérias sobre o colapso nos presídios, somos surpreendidos com vereadores presos, que deixam o presídio e as cadeias para tomar posse e um que toma posse como vereador, dentro do presídio.

Creio que estou dormindo e tendo um dos piores pesadelos da minha vida.

Em meio à crise política, econômica, social, educação e etc, pessoas presas, que concorreram a cargos públicos (vereadores), conseguem liminar da Justiça Brasileira para tomar posse. Tudo bem que a legislação, conforme interpretação lhes garante este direito, mas onde está o bom senso? Onde está a moralidade? Onde está a jurisprudência que os juízes podem criar e que se transformam quase em regras para futuras decisões judiciais?

Creio que estou sonhando, pois não é o país que vivo e acredito.

Podem até me dizer que uma coisa não tem nada haver com a outra. O colapso nos presídios é uma coisa e a posse dos vereadores é outra coisa.

Mas, creio que, nos presídios e em celas de delegacias espalhadas pelo Brasil há milhares de cidadãos a espera do alvará de soltura, de uma assinatura de um juiz, da defesa de promotor ou advogado, pois são pessoas cujos delitos não deveriam ser a prisão, mas outra forma de compensar o crime.

Vale lembrar que, se um cidadão trabalhador passou num concurso público ou nos testes para ser contrato por uma empresa, se for preso dias antes, não há lei e nem decisão que obrigue o concursado tomar posse e a empresa de contratar aquele trabalhador preso.

Para os presos, agora vereadores presos, não somente são levados a Câmara para posse, podem nomear gabinetes, como a legislação lhes dá todos os direitos. Vale lembrar que pagaram advogados e que, se foram eleitos, foram eleitos com voto popular, secreto e numa eleição democrática. Infelizmente, este é o Brasil que estamos vivendo, o país das contradições em todas as áreas e segmentos.

Para terminar, vale ressaltar que, Jesus Cristo também foi vítima da contradição de seu tempo, queriam o messias, mas que fosse um revolucionário de espadas e não um revolucionário humano, cuja arma foi o amor e o acolhimento dos sofridos e esquecidos pelos “poderosos”. 


Mais artigos no próprio blog: rogeriotosta.com

Aborto, tragédia e os traidores do povo

Hoje, quando acordei (30/11) não sabia o que escrever, pois ontem havia pensado em escrever algo sobre a tragédia do time Chapecoense e mudei de ideia ao ver a notícia que a Prime...

Reduzir salário ou reduzir comissionados

Comenta-se que o prefeito Bernardo Rossi está estudando a possibilidade de reduzir o salário de todos os cargos comissionados da Prefeitura, o que para muitos, seguiria o exemplo do ex-p...

Ponto eletrônico e o vereador afastado

Por causa de uma ação judicial, movida pelo Ministério Público Estadual (MPE), a Câmara Municipal instituiu o ponto eletrônico para todos os servidores, concurs...

Vamos até Monte Serrat?

Quantos de vocês conhecem pelo menos algum ponto do Rio de Janeiro que faz fronteira com o estado de Minas Gerais? Bem... espero que ao menos alguns tenham levantado as mãos como eu.Porta...

Papo de Pescador

Olá leitores da Tribuna de Petrópolis. Estamos aqui em nosso encontro semanal, desta vez para dar algumas dicas e falar um pouquinho de nossa região.Há muito tempo, nossa r...

Maurinho Branco na Câmara

Circula nos bastidores da Câmara Municipal que Maurinho Branco pode pedir exoneração do cargo de presidente da CPTrans e reassumir seu mandato como vereador, na Câmara Munici...