Os acidentes continuam

Por: José Afonso B. de Guedes Vaz - Advogado e membro da APL

4 meses atrás


Texto: A - A A +
Compartilhar:

Há alguns meses que venho me manifestando a respeito de acidentes ocorridos com motociclistas, ceifando a vida de muitos, afora aqueles que carregam, para sempre, sérias sequelas em decorrência de tais eventos.

É de se lamentar em razão de tão lamentáveis ocorrências, até porque muitos jovens vêm de perder a vida, como, também, inúmeros chefes de família, justamente por conduzirem tais veículos com excesso de velocidade, associado com a imprudência, a imperícia, sem falar em problemas mecânicos que podem advir e que ninguém está livre dos mesmos. 

Ao volante do meu automóvel tenho observado verdadeiros absurdos que são praticados por muitos deles, o que me faz crer que não guardam qualquer apego e respeito à vida, quiçá à do próximo.

O dia do Motociclista, que é comemorado em 27 de julho, é data que deve ser festejada com regozijo e alegria, porém, para muitos e para familiares, o que ocorre é, exatamente, o contrário; o dia é de tristeza e recordações daqueles que partiram ou que se encontram imprestáveis para a vida normal, já que aleijados ou, até mesmo, sem condições de se locomoverem.

Certamente, deixaram de ouvir os mais velhos que muito devem lhes ter aconselhado como conduzir tão perigoso veículo.

Entretanto, aqueles que conduzem suas motocicletas com disciplina e velocidade compatível, enfim, com respeito à legislação de trânsito, que continuem a observar tais regramentos, não deixando que seus veículos sejam transformados em “armas”.

E a “arma” pode ceifar vidas de inocentes e dos próprios condutores de tais “máquinas”, como vem se dando, frequentemente.

Se bem observarmos, a imprensa da terra noticia, quase que semanalmente, acerca do grande número de acidentes, quadro que conduz a que medidas devam ser adotadas com vistas a evitar tão deploráveis tragédias.

Ante o exposto, é de ser aguardar a adoção de medidas a cargo do órgão responsável pelo trânsito, com vistas à sinalização de locais perigosos, identificados pelo mesmo, de forma a evitar eventos da natureza que ora se faz comentar.

A propósito, não só com relação a condutores de motocicletas, como, também, de veículos de passeio, que abusam do excesso de velocidade, cabe, a derradeiro, que seja alertado às autoridades competentes, no tocante a que vem se passando na Rua Visconde de Uruguai, bairro do Valparaíso, eis que nessa via, após ser implantado o sistema de cobrança de estacionamento, acabou por deixá-la mais livre, transformando-a, consequentemente, em “pista de corrida”, motivo de séria preocupação para muitos.

.

 


Nós, seres eternos

Irmãos, que cada um de nós possa sempre estar aberto a receber essa Boa Nova, isto é, as notícias dos céus que Jesu...

Os chinelos de vó Mariquinha

A família era pobre, residindo em uma casa simples, porém podendo abrigar todos os seus moradores.Para ter acesso à mesma, se faz...

Ateliê Hees

Philip Peter Hees (1841-1880) chegou a Petrópolis aos quatro anos de idade em companhia de sua mãe Anne Catharine Michel e de seu pai, o...

Faltam compreensão e mea-culpa

Tem me chamado a atenção o que os que se auto denominam de esquerdistas estão dizendo nas redes sociais: uma fonte inesgot&aacute...

“Quem me dera agora eu tivesse a viola”

O título deste artigo é uma referência à música Ponteio, de Edu Lobo e Capinam. Estaria o compositor desta linda can...

São João Paulo II

O dia 22 de outubro assinalou o dia dedicado a São João Paulo II nascido Karol  Józef Wojtyla, na Polônia em 1920 e em...