Prefeitura acumula R$ 589 milhões em dívidas

9 meses atrás


Texto: A - A A +
Compartilhar:
imagem noticias
Divulgação | Tribuna de Petrópolis

Um montante de R$ 589 milhões em dívidas de governos passados apuradas pela gestão de Bernardo Rossi foi apresentado na Câmara de Vereadores no início da tarde de ontem. O montante já vinha sendo alertado desde a transição, em novembro e dezembro, e está acrescido de outro fator de preocupação e que precisa ser sanado pela nova gestão. As despesas com pessoal – R$ 423 milhões ao ano - ultrapassam o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal. 

A discriminação dos débitos acumulados do ano passado – que colocaram o nome do município no Cadastro Único de Convênios (CAUC), dificultando a chegada de recursos federais e estaduais - foi explicada aos vereadores pelo grupo de secretários formado por Heitor Pereira (Fazenda), Roberto Rizzo (Coordenação Estratégica), Renan Campos (Gabinete) e Fábio Alves (Controle Interno). 

 “Encontramos uma situação crítica nas contas. Estamos acertando as pendências, formalizando acordos e traçando estratégias para administrar as dívidas e reequilibrar as contas”, explica o secretário de Fazenda Heitor Pereira, lembrando que desde o primeiro dia de governo o prefeito Bernardo Rossi adotou medidas de austeridade para reduzir gastos.

Os dados mostram que a antiga administração deixou dívidas em áreas que interferem diretamente no dia a dia da população. Na Saúde, as dívidas acumuladas somam R$ 112,6 milhões. Pelo menos R$ 35,6 milhões são pendências por atendimentos realizados pelo Hospital Santa Teresa – unidade referência em urgência e emergência - pelas duas UPAs e pelo Serviço Social Alcides Carneiro - estes dois últimos referentes a salários e 13º de prestadores de serviço na área de Saúde que não foram pagos pelos gestores à época.

Na Assistência Social - responsável por programas que atendem cerca de 6 mil famílias - as pendências acumuladas em 2016 somam R$ 708 mil. A falta de pagamento de despesas do Cartão Imperial em dezembro do ano passado representa uma dívida de R$ 363 mil. Dívidas também foram acumuladas com o não pagamento do aluguel social a 390 famílias, num total de R$ 194 mil.  A atual gestão encontrou ainda R$ 144 mil em pendências com o restaurante popular – que por dia oferece  mil refeições a R$ 1,00, além de 500 cafés da manhã por R$ 0,50.

Na Educação, as dívidas acumuladas em 2016 ultrapassam R$ 14 milhões. Deste montante, R$ 2,7 milhões são débitos referentes a atrasos nos pagamentos de fornecedores de merenda para abastecer 186 escolas, sendo 68 Centros de Educação Infantil, que atendem 42 mil alunos da rede municipal. Pendências na ordem de R$ 270 mil também foram acumuladas em 2016 no transporte escolar e no convênio com escolas e creches, um total de R$ 854 mil. 

Mulher é presa com cocaína em Pedro do Rio

Uma mulher foi presa na noite desta quarta-feira (3) com oito sacolés de cocaína em um coletivo em Pedro do Rio. A ação fo...

Jovem moradora do Thouzet está desaparecida

Uma jovem de 16 anos, moradora do bairro Dr. Thouzet no Quitandinha, desapareceu depois de pegar um ônibus com destino ao Centro da cidade, na t...

TJRJ lança app de celular para consulta de process...

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) lançou um aplicativo para celular que possibilita a consulta por número...

Entenda porque a Tribuna de Petrópolis não divulga...

A divulgação da identidade e fotos dos suspeitos de terem cometido crimes em matérias jornalísticas tem sido uma discuss&a...

Pesquisa mostra que homens estão investindo mais e...

Uma pesquisa nacional feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de...

PM apreende 236 cápsulas de cocaína em lixeira no...

Na manhã de hoje, a polícia militar apreendeu 236 cápsulas de cocaína no Bairro Duarte da Silveira. A ação t...