Tribuna: cultura, história e informação

Por: Fernando Costa - Advogado e jornalista

2 meses atrás


Texto: A - A A +
Compartilhar:

A Tribuna de Petrópolis é um dos mais antigos jornais do País. Completou no dia nove de outubro 115 anos de fundação e circulação, desde 1908 com publicação diária em ininterruptas atividades. E surge a pergunta: a Tribuna é só de Petrópolis? Discordo de tal premissa, pois, pertence aos quatro cantos onde leva a notícia. História, arte e cultura em suas páginas florescem veicula, informa, publica e o mundo todo conhece. Atenta aos fatos, sempre aplaudindo ou reivindicando pelo povo em seus clamores para o bem de toda gente. Cento e quinze anos e nem parece! Jovem, dinâmica e atual sempre buscando a verdade o bem e a paz social. Cultua e preserva as raízes ilumina a humanidade sarça ardente a incandescer os fatos sempre em vanguarda. 

 Se for noite em vigília aurora ou madrugada fiel arauto a cumprir a tão sublime missão indo aos morros, prédios, prados a todos alimentado com o esclarecimento e a comunicação. É uma alegria participar dessa rica trajetória há mais de quatro décadas. Nela desfruto de generoso espaço. Se por um lado contribuímos para a preservação e o culto à memória, visto por outro ângulo ampliamos os nossos horizontes e aquecemos nossas almas.

 É um importante instrumento de integração que evoluiu e se modernizou para e pelo munícipe. Admirável a coragem, a independência, a imparcialidade, o espírito de embate no árduo, belo e emocionante apostolado. Ao ensejo da auspiciosa data as homenagens são extensivas aos jornalistas que abraçam o “múnus” de noticiar. Sobem morros adentram Palácios, trabalham, no centro e periferia. Lutam por nós, sofrem por nós, gritam por nós. Criam mitos, neologismos, aposentam velharias estilísticas, inovam conceitos, fazem escolas, marcam época, escrevem a cada dia as ocorrências do Brasil e do mundo. São os luminares do universo da informação. Não é à toa que a atividade jornalística é conhecida e reconhecida como o quarto poder.

Louvemos os méritos dessa brava classe. Inúmeras são as noites, plantões, jornadas, na maioria das vezes aos sábados, domingos e feriados que saem em busca da notícia, informando, distribuindo cultura, tal qual pão, peixes e também lírios porque é expressão de arte. Exibem a exatidão, doa a quem doer. Denuncia mandatários, guerreia contra o tóxico, o analfabetismo e a fome que grassa impiedosamente. Repriso, pois, que a Tribuna presta inestimáveis serviços à comunidade, ao Município e, por extensão ao País sempre aberta ao salutar debate com prioridade às notícias locais. Contribui em prol e para que se exerça a democracia plena e para que haja pleno exercício do Estado de Direito, porque constrói cria e constitui parte decisiva ao progresso e enriquecimento do nacional.

 Sua mensagem aos quatro cantos é de que cada integrante conquiste e assuma a responsabilidade por seus atos, ame a Pátria, reivindique direitos e cumpra suas obrigações. Reba os merecidos e demorados aplausos, de pé, eflúvios esses extensivos aos Colegas de Imprensa, Repórteres, oficina e a Família Imperial pela obra e bravura em forma de um jornalismo sério e comprometido com a ética e transparência. Sabemos quão difícil nos tempos hodiernos manter uma empresa e encargos. São méritos mais que justos que mantém sempre Petrópolis a reinar sobre as alturas escrevendo a ouro e prata páginas de amor e ternura. Que Maria hoje e sempre junto aos anjos bordados em luz os cubra de intensas bênçãos sob o manto de Jesus.