Uso do hormônio HCG pode promover perda de até 10 kg afirma endocrinologista

Por: Thaciana Ferrante

Domingo, 13 de Agosto de 2017


Texto: A - A A +
Compartilhar:

O levantamento do Ministério da Saúde divulgou aponta um alerta! Uma em cada cinco pessoas no país está acima do peso. A prevalência da doença passou de 11,8%, em 2006, para 18,9%, em 2016. Os números fazem parte da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas realizada em todas as capitais brasileiras. O resultado reflete respostas de entrevistas realizadas de fevereiro a dezembro de 2016 com 53,2 mil pessoas maiores de 18 anos. Ainda segundo o estudo a obesidade cresceu 60% nos últimos dez anos no Brasil.

 Junto com o sobrepeso chegam também outras doenças graves, como: diabetes, hipertensão arterial e dislipidemia, que são doenças crônicas que podem levar a morte. Diante desse problema diversas pesquisas e tratamentos têm sido realizados em busca de uma solução. Em Petrópolis a endocrinologista Cristiane Couto defende uma descoberta feita na década de 50, pelo médico inglês Albert Simeons. Na época a especialista percebeu que jovens obesos que recebiam o hormônio  HCG, também chamado de gonadotrofina coriônica e encontrado em grandes concentrações no corpo feminino durante a gravidez, apresentavam uma redução no apetite e uma diminuição na circunferência abdominal. 

“Notou-se ainda que ao mesmo tempo em que eliminavam gordura, esses pacientes perdiam pouca massa muscular, o que é essencial para a manutenção do metabolismo. Desde então, o uso do HCG associado a outras medidas, têm sido muito eficaz para a promoção do emagrecimento”, explicou a especialista. 

Ainda segundo a endocrinologista o uso do HCG “engana” o cérebro temporariamente e simulando uma gestação, até mesmo em homens. “Ocorre que gestantes não podem perder músculo, por que seria extremamente prejudicial para o feto, então queima-se apenas a gordura. Claro que isso depende de outros fatores, como alimentação, por exemplo. Por isso um acompanhamento médico rigoroso deve ser mantido durante o tratamento. A perda de peso pode ser bastante significativa, podendo chegar a 10kg em seis semanas. Porém, um médico endocrinologista deve avaliar previamente o paciente para saber se ele tem as indicações necessárias para ser submetido ao tratamento”, ressaltou. 

Apesar do resultado expressivo, e da grande perda de peso em pouco tempo, a dieta com HCG serve apenas como pontapé inicial para a adoção de novos hábitos de vida. “A mudança de estilo de vida para quem deseja se manter com o peso ideal, uma boa musculatura e principalmente saudável,  continua sendo o grande segredo da manutenção da perda de peso. Assim como, atividade física diária! Esse é o segredo para quem deseja viver por muitos anos e com qualidade de vida”, afirmou Cristiane Couto. 




Olimpíadas: 146 ambulâncias entram em operação no...

Os torcedores e competidores já têm a disposição, 146 ambulâncias cedidas pelo Ministério da Saúde para...

Anvisa determina apreensão de lote falsificado de...

Resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicada hoje (25) no Diário Oficial da Uni&at...

Microcefalia: SUS vai oferecer estimulação precoce...

Portaria do Ministério da Saúde publicada hoje (11) no Diário Oficial da União inclui a estimulação precoce...

Saúde incorpora novos medicamentos para Hiperparat...

Os pacientes com Hiperparatireoidismo secundário, oriundo de doença renal crônica, terão, a partir do próximo ano, m...

Em São Carlos, cientistas criam método simples par...

Pesquisadores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) desenvolveram um método simples, rápido e de baixo custo para detect...

Sobe para 89 número de mortes confirmadas por febr...

Nos últimos dois dias, mais sete pessoas morreram em decorrência da febre amarela e as autoridades municipais de Saúde confirmaram...